O site Basic Shadowhunters Stuff teve a chance de conversar com Alberto Rosede antes da estréia da Terceira Temporada de Shadowhunters, sobre suas idéias sobre os relacionamentos de Simon Lewis, como resolver sua mente e seu corpo e, claro, ser um garoto da Flórida.

Todo herói de fantasia precisa de um melhor amigo para vir em sua jornada, mas o que acontece quando esse melhor amigo é jogado em uma missão extraordinária? Se esse melhor amigo é Simon Lewis, esse personagem se tornaria um fã favorito de um vampiro que anda de dia, se ele fosse interpretado por Alberto Rosende, o personagem seria retratado com performances entusiasmadas, inspiradas e honestas do coração.

Você sabe muito bem o seu personagem neste ponto, quais você acha que são as características que definem Simon?

Eu acho que uma das coisas que eu estou meio que descobrindo nesta temporada é a empatia e a compaixão de Simon. Sua compreensão profunda e, na verdade, sua capacidade de se conectar com as pessoas, acho que é algo muito legal, e isso é interessante sobre ele.

Eu também acho que ele é muito forte. Ele teve muitas oportunidades de ser corajoso, e você pode defini-lo como valente, mas é porque ele tirou essas oportunidades quando ele poderia ter fugido, mas, em vez disso, ele decidiu continuar avançando. E acho que essa é a sua principal característica, que ele continua avançando. Como aquela famosa frase de Abraham Lincoln [“Eu ando lentamente, mas nunca ando para trás”].

Existe algo em particular que você canaliza ao interpretar Simon?

Na verdade, é interessante que você pergunte porque, na primeira temporada, tive uma ideia de personagem muito legal de que Simon era uma mescla de dois dos meus melhores amigos e eu – em termos de música, vi meu amigo Dave; e em termos de personalidade, compaixão e empatia, e toda aquela coisa maravilhosa, vi meu amigo James; e em termos de outras coisas, era como eu gostaria de me ver. E isso mudou um pouco agora, só porque Simon cresceu muito; Ele enfrentou tantas provações e turbulências. Agora, está indo para aquela versão de quem eu pensei que ele era, deixá-lo crescer organicamente. Mas eu não sei se eu tenho algo específico que eu canalize. Simplesmente estou tentando ser a melhor versão de Simon que posso ser. E aonde eu possa ficar com raiva, Simon é diferente, é atencioso e compreensivo; onde eu poderia querer parar e dizer: “Não, isso não vale a pena”, Simon sempre será um homem de sua palavra. Então, existem certas características, como essa, tentamos trazer.

 

Shadowhunters aborda algumas coisas difíceis usando seu cenário de fantasia, e é paralelo a muitas questões do mundo real, como o extremismo e o racismo. Quais foram os seus arcos ou tramas favoritas até agora, e o que você gostaria de ver nos personagens no futuro?

Nós lidamos com coisas como a perda de um dos pais – Simon perdeu seu pai e então Clary perde sua mãe na 2ª temporada – e temos isso sempre de “ficando confortável com você mesmo e conhecendo quem você é” através da jornada de Alec e do relacionamento de Malec. Isso foi algo que eu pensei que era incrível. Alec simplesmente destrói completamente os estereótipos, [mas também] tem os medos e inseguranças, e todas as outras coisas que são verdadeiras para alguém que ainda não conseguiu aceitar essa parte de si mesmo ou tem medo do que as pessoas vão dizer. Então eu adoro a jornada tanto por Harry quanto Matt e pelos espectadores assistindo isso; Eu acho que foi muito bem feito. Mas eu não quero dar spolers!

Uma das coisas lindas sobre a fantasia é que não temos que atacar as coisas de frente e dizer: “É exatamente isso que estamos falando”; existem outras maneiras de fazê-lo. Podemos dizer: “Olhe para o relacionamento controverso entre vampiros e lobisomens no Submundo”, mas a geração mais nova realmente está trabalhando para dizer que somos todos iguais; não há nenhuma razão para termos essas diferenças. Eu acho que é algo que eu adoraria ver o show fazer mais, apenas falar sobre nossas diferenças e como ele realmente nos torna mais parecidos do que diferentes. Isso nos torna mais humanos, mais únicos nesse sentido, e é o que realmente nos reúne… não nos separa.

Eu também acho que a série realmente foi bem com o desenvolvimento do personagem. Como com Izzy – que é onde eu compreendi pela primeira vez essa idéia – ela é, eu acho, um dos personagens mais fortes da série. Por quê? Porque ela tem essa oportunidade gigantesca de ser fraca e ela escolheu ser forte. Com o vício que ela escolheu para seguir em frente, ela escolheu segui-lo passo a passo e dia a dia. E isso é algo que eu acho super importante.

Vamos ver mais Izzy e Simon nesta temporada?

Alguém me perguntou o outro dia sobre Sizzy e eu disse: “Não se preocupe; Nós estamos cuidando disso.” Eu sempre digo isso que quando chegar a hora de que ambos se juntem, será quando eles se tornaram pessoas que estão prontas um para o outro. Eu acho que uma das coisas que as pessoas esquecem é que cada relacionamento em que você está é válido porque está ensinando você a ser uma pessoa melhor em um relacionamento. Izzy e Simon com suas próprias viagens românticas com quem vai ensinar-lhes como ser melhor um para o outro. E não estou dizendo que é breve; Só estou falando, quando chegar será a hora. E quando chegar a hora, Emeraude e eu realmente queremos garantir que seja o momento certo para que Simon e Izzy se unão.

Quero dizer, na segunda temporada, aconteceu muita coisa com Clary; agora ele tem algo com Maia… é aí que está Simon. E Izzy está se concentrando em se recuperar de seu vício, e seu relacionamento com Raphael também. Então queremos ter certeza de que eles fiquem juntos direito… [mas] você pode dizer aos fãs que eu disse para não se preocuparem.

Você mencionou Maia; estamos realmente amando Simon e Maia e nós amamos sua química com Alisha…

Eu acho que é uma coisa da Flórida! Eu não sei se você sabe disso, mas Alisha foi para uma escola secundária rivais na Flórida. Quando trocamos números de telefone – foi seu primeiro dia no set, e eu estava tipo, “eu, todos nóa vamos jantar hoje à noite, você deveria se juntar ao elenco’ – eu vi [seu código de área] e falei, “Whoa, de onde você é? Onde você estudou no ensino médio?” E nós fizemos isso tudo. Então essa é uma coisa da Flórida.

Existe alguma coisa que você sente quando trabalha tão longe de casa?

O calor. Está tão frio aqui – eu trabalhei hoje fora, e está nevando. Havia neve no chão e fazia -7 graus. E eu olho para a temperatura em Miami e é, ugh, 33 graus, ou o que quer que seja, então sinto falta disso. Mas também vim aproveitar o frio. Mas há momentos em que eu acordo e sou como “Preciso voltar para Miami”. Preciso poder ir ao meu lugar colombiano e ir à praia.

Então, o que você pode falar sobre Simon e Maia?

Eu acho que isso vai acontecer para a maioria das pessoas no Mundo das Sombras, mas eles serão testados. Eles estão em um relacionamento que é considerado “não normal” no Mundo das Sombras – um vampiro e um lobisomem – então há muitas coisas que acompanham isso. E eu acho que os fãs podem aguardar essa jornada, o que significa que eles estarão juntos.

Além disso, cada um tem sua própria vida e suas próprias experiências, então eles também têm que entrar em seu relacionamento. As pessoas esquecem que todos trazem coisas do passado e é algo que você precisa trabalhar junto. Então, como em qualquer relacionamento, eles precisam. Mas eu realmente amo a maneira como eles funcionam juntos e estou ansioso para ver como os fãs irão se sentir quando vêem o que eles irão fazer.

A relação que Luke e Simon tem é realmente em interessante e variada. O que você acha que torna o relacionamento deles tão especial, e existe alguma coisa com os dois que podemos aguardar?

Eles têm um relacionamento muito legal e próximo. Luke era essencialmente o pai de Simon e Simon diz isso para Maia quando se conheceram, que praticamente ele o criou e eles estão muito perto. E é legal que haja alguém para ajuda-lo no Submundo, alguém que o conhece por muito tempo. Eles sabem que sempre podem confiar uns nos outros. No que diz respeito ao que está acontecendo com eles, acho que posso deixar isso – eles sabem que sempre podem confiar uns nos outros quando precisam de ajuda.

O que você pode dizer sobre o que está acontecendo com Simon na 3ª temporada? E quais partes do seu personagem você gostou de explorar?

Posso dizer que mais uma vez, Simon não escapa das dificuldade que é o Mundo das Sombras. Ele vai ter que passar por isso novamente. Então, nesta temporada, acho que os fãs realmente vão passar por uma jornada com ele que talvez não seja o muito agradável. Também direi que ele aprendeu muito. Na 1ª temporada, ele começou com a ter idéia de não saber o que estava acontecendo e acabou se sentando e dizendo: “Ok, eu posso viver no Mundo das Sombras como um vampiro.” Então, a coisa toda de Daylighter aconteceu, e ele meio que foi expulso disso, ele está tentando continuar sendo apenas Simon. E nesta temporada, continua naquela direção onde ele tem que lutar continuamente por seu lugar – tanto para ele quanto para os outros no Mundo das Sombras. Mas é uma jornada muito emocionante este ano com certeza; Eu me diverti muito e estou ansiosa para os fãs vejam o que aconteceu.

Nós amamos o que você tem feito com o Rosende Reads. Como essa experiência única com seus fãs foi para você?

É engraçado porque eu comecei o clube do livro porque eu disse que precisava ler mais e sei que nossos fãs são leitores ávidos. Então, se houver alguém que possa me manter responsável pela minha leitura, seria eles.

E também queria criar o entendimento de que você pode criar uma comunidade com pessoas em todo o mundo nos dias de hoje; Você pode encontrar algo sobre o qual você se apaixona. E foi o que fizemos, temos 20 mil seguidores e temos uma média entre 120 e 200 pessoas por Live no Instagram. E eles estão lendo e aprendendo e fazendo perguntas. Tem sido incrível ler os comentários dos fãs que compartilham as diferentes perspectivas de suas vidas comigo. Lemos o Matadouro 5 – e foi um dos meus livros favoritos e fiquei muito entusiasmado por lê-lo – e depois de lê-lo com esses fãs, ganhei uma nova perspectiva no livro. E enquanto ainda é um dos meus favoritos, não adoro isso do mesmo modo que fiz antes, e posso ver isso como uma novela que ensina coisas. Foi apenas uma experiência super incrível e os fãs tornaram a comunidade tão grande; apenas lendo e fazendo perguntas e tentando restaurar a literatura como algo realmente divertido e não apenas algo que acontece na escola ou que é necessário.

Tem sido uma experiência. Até me faz querer levantar e sair da cama na manhã de sábado, porque eu quero ir, e não posso esperar para falar com eles sobre esse livro.

Nós realmente admiramos o compromisso de ser saúdavel que o elenco inteiro tem. Além de ficar em forma para cenas incríveis, o que você mais gosta de trabalhar fora e como você fica motivado?

É algo que tirei dos livros de Instrumentos Mortais, há uma parte em que a mãe de [Simon] fala sobre os pilares de sua vida. Então, eu realmente tomei essa idéia sobre esses pilares – a mente, o corpo e a conexão espiritual. Tanto quanto eu gosto de exercitar a mente, você também tem que fazer o mesmo com o seu corpo. Você só obtém um e você deve ter uma conexão – uma conexão bonita e positiva – e eu sinto isso. Há uma citação que vou parafrasear, mas é: “É uma pena que uma pessoa morra sem conhecer a verdadeira força de seu corpo”. O corpo humano é capaz de coisas incríveis. Então, não só tive a incrível oportunidade com Shadowhunters para trabalhar com um treinador – e aprender mais sobre fitness e nutrição e treinamento de dublês, todas essas coisas – também é amarrando isso com algo realmente espiritual, o que é a conexão com seu corpo. Quando você está correndo ou quando está na academia, e é só você sem música, você se liga a si mesmo e acho que isso é super importante. Pode ser quase uma meditação. Você não está competindo contra ninguém, apenas você mesmo. Você está lá para se tornar melhor do que você estava ontem, e acho que você deveria tentar fazer isso com cada pilar de sua vida – sua mente, seu corpo e seu espírito.

Shadowhunters retorna com a Terceira Temporada no dia 21 de março de 2018 na Netflix Brasil.

Fonte: BSS

Adaptação & Tradução: Equipe Alberto Rosende Brasil